Confira 4 dicas para criar um dashboard eficiente
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao falar no uso estratégico de dados, é essencial fazer uma boa apresentação do que foi coletado. Um dos jeitos de fazer isso é ao criar um dashboard ou painel. De forma simples, ele é um compilado de algumas informações visuais importantes sobre determinado tema.

Para que seja funcional, deve ser elaborado segundo boas práticas. Desse modo, ele cumpre sua função e garante o melhor desempenho para o negócio, ao utilizá-lo.

Quer descobrir como criar um dashboard do jeito ideal? Veja 4 dicas essenciais para acertar no processo.

1. Escolha a ferramenta correta para a criação

Para compor o seu painel da maneira adequada, é essencial ter o apoio de uma ferramenta de fácil utilização. Além de economizar tempo, esse uso garante máxima eficiência e a melhor apresentação dos dados.

Entre as alternativas, o Power BI é uma das opções mais conhecidas. Criado pela Microsoft, o software permite elaborar relatórios e, a partir deles, criar um dashboard completo. Com isso, vale considerar a possibilidade.

Outros elementos de BI, normalmente, oferecem esse recurso, com algumas modificações. Busque a alternativa mais simples de usar, sem que isso signifique abrir mão da qualidade.

2. Selecione, trate e refine os dados corretos

Com a ferramenta certa em mãos, é hora de começar a obter as informações que serão apresentadas. Selecione as fontes e defina como deve acontecer a coleta, como dentro de um período.

Em seguida, trate as informações de maneira completa, como ao “limpar” os dados ou focar em pontos específicos. Como a ideia é criar uma visualização precisa, é essencial refinar as informações.

Retire o que não for necessário ou que não acrescentar valor à análise de tendências. Então, o truque é deixar apenas o que for realmente útil.

3. Ofereça contexto e organização ao criar um dashboard

Na hora de organizar todos os dados, é preciso pensar em dois aspectos principais e o primeiro é o contexto. Por que as informações são úteis? Por que elas estão lá? Qual é a conclusão desejada?

O segundo ponto é a organização. Tudo deve ser apresentado de forma lógica, com a chamada cadência. Ou seja, a intenção é que as pessoas sejam levadas de um ponto a outro de maneira simples e natural.

Um bom jeito de fazer isso é criar uma “história” por meio dos dados e dos recursos visuais. Mostrar histórico de vendas no ano, valores do mês atual e os produtos mais vendidos, por exemplo, demonstra como tudo está interligado.

4. Evite o excesso de informações

Ao criar um dashboard, existe a forte tentação de torná-lo informativo. Muitas vezes, a vontade é adicionar todos os dados relevantes e mostrar como eles devem ser considerados. Porém, essa não é a melhor saída.

O excesso só torna tudo mais difícil e faz com que a visualização não seja tão fácil. Por isso, é essencial resistir à ideia de criar uma composição completa. Deixe somente as informações mais relevantes e as outras devem ser adicionadas em relatórios, por exemplo.

Uma dica chave é criar uma capa com os botões para a navegação entre as abas e em seguida, criar uma página consolidada com os principais indicadores que um executivo da área do varejo, por exemplo, possa ter acesso para a tomada de decisão — um gráfico de barras com 3 informações num mesmo gráfico — a evolução das vendas mês a mês do ano corrente versus o ano anterior e a comparação frente a meta, além de outro gráfico com a evolução de vendas por loja, e cartões com informações resumidas da evolução das vendas totais do ano e também, do mês corrente.

Ao aplicar essas dicas, você vai criar um dashboard muito eficiente e que garante os melhores resultados para o empreendimento. Assim, sua visualização de dados será otimizada.

Quer outras dicas como essas? Curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro das atualizações do blog!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *