Data Integration: tudo que você precisa saber
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Imagine ter que procurar uma informação necessária em pontos distintos, pode ser complicado, não é? Em um cenário digitalizado e com soluções tão dispersas, é exatamente isso o que acontece. Para solucionar esse problema, existe o processo de Data Integration.

No entanto, é preciso entender como utilizar os recursos da maneira adequada. Com a boa implementação, dá para ter uma atuação muito mais capacitada e eficaz.

Para não ter dúvidas, compreenda melhor a etapa de Data Integration e confira quais são os aspectos essenciais.

O que é esse conceito?

Os dados são gerados em várias fontes. Em empresas que utilizam diversos recursos, como softwares e sistemas, há uma divisão quanto à origem e ao tipo dos conhecimentos. É nesse contexto em que surge o Data Integration.

Também chamada de integração de dados, essa técnica tem a ver com a união de informações oriundas de vários pontos. Dessa maneira, é possível ter todos os elementos em um só lugar.

Para isso acontecer, é preciso extrair as informações de cada ponto, convertê-las e enviá-las para um ambiente em comum. Todos os dados têm que funcionar conforme o esperado e entregar um bom desempenho.

Por que investir em Data Integration?

Um dos maiores benefícios de recorrer a essa etapa é a proteção e a disponibilidade dos dados. Como tudo fica concentrado em um ponto, dá para ter uma ideia clara de quais são as informações disponíveis.

Também é um bom jeito de fazer um tratamento adequado de dados. Há a chance de eliminar elementos repetidos e de desconsiderar o que não é importante. Isso melhora o rendimento, aumenta a produtividade e permite a aplicação das informações digitais.

Além disso, com a centralização, há uma visualização completa. Isso gera novos insights, favorece o uso democrático das informações e garante um desempenho ampliado.

Toda a praticidade é unida, ainda, a um aumento na segurança. Controlar e proteger um só ambiente é mais fácil que fazer isso com vários, então dá para evitar perdas de informações.

Não menos importante, é um modo de aproveitar melhor os recursos e de impedir o desperdício de dinheiro. Assim, fica mais fácil consolidar um bom desempenho.

Como implementar essa alternativa?

Para colocar Data Integration em prática é essencial contar com um bom planejamento inicial. É indispensável identificar quais são os sistemas utilizados e onde os dados são gerados. O mapeamento faz toda a diferença para garantir os melhores resultados, ao longo da implementação.

Em seguida, defina quais são as ações que devem ser executadas. Pense na contratação de um serviço ou de vários deles para chegar ao resultado esperado. É ideal contar com ferramentas robustas, com bom suporte e capazes de realizar a integração.

Como vimos, o Data Integration é cada vez mais necessário em um ambiente com diversos recursos, sistemas e ambientes digitais. Após definir métricas, faça o acompanhamento para entender como anda a implementação. Desse jeito, vai ficar fácil chegar ao resultado desejado e que permitirá que o negócio alcance o melhor desempenho.

Gostou de conhecer essa possibilidade? Então confira também para que serve o SQL Server Integration Services!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *