Infográficos: uma opção para visualização de dados
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Tão importante quanto obter boas informações sobre o negócio é garantir que elas sejam facilmente compreendidas. Um dos desafios da ciência de dados é, justamente, compor análises que possam ser avaliadas por pessoas além dos especialistas em estatística ou BI. Nesse sentido, os infográficos surgem como boas alternativas dentro da visualização de dados.

Eles reúnem uma quantidade equilibrada de textos, números e elementos visuais e apresentam as informações de um jeito simplificado. Quando bem utilizados, potencializam os impactos da inteligência de dados.

Na sequência, veja quais são os pontos principais dos infográficos e entenda como eles favorecem a visualização de dados.

Quais as vantagens de adotar esses recursos?

Dispor as informações de maneira descomplicada é, por si só, muito vantajoso. Trata-se de um jeito de envolver outras pessoas e conduzir melhor a tomada de decisão. Assim, fica mais fácil encontrar correlações interessantes e explorar todo o potencial.

O uso dos infográficos, especificamente, tem algumas vantagens importantes. Eles são bem rápidos e “palatáveis”. É fácil verificar as informações, principalmente porque muitas vêm com uma breve explicação no entorno.

Também são simples de elaborar e de compartilhar, o que expande o fluxo de comunicação e a integração. Mesmo quem não tem técnicas avançadas consegue ter uma compreensão completa do cenário apresentado, o que potencializa os impactos de Business Intelligence.

Como elaborar infográficos para a visualização de dados?

Já que o objetivo é simplificar o entendimento, o pensamento que direciona a elaboração desse recurso é a facilidade de leitura. Muito mais que ser bonito ou moderno, ele deve descomplicar a tarefa de ler os dados e identificar o conhecimento por trás daquela análise.

Pense que a empresa deseja mostrar como tem sido a evolução de consumo de determinado grupo segmentado. Em um infográfico, faz mais sentido usar gráficos de barras em cores simples do que ferramentas complexas ou puramente estéticas. Com a primeira opção, todos entenderão qual é a evolução.

Também é essencial não adicionar dados demais. Se for o caso, é melhor fazer vários infográficos com temas específicos, em vez de um grande consolidado com todo o conhecimento necessário.

A apresentação deve ser lógica. A leitura tem que ser feita da esquerda para direita e de cima para baixo, como é o tradicional no ocidente. Dessa forma, ninguém vai se perder com correlações distantes entre informações. Dependendo do caso, o feedback ajuda a aprimorar a disposição.

É possível utilizar ferramentas direcionadas?

Para elaborar esses recursos do melhor jeito, não é preciso (e nem indicado) agir de maneira manual. Em vez de coletar cada informação e pensar individualmente no resultado, é viável recorrer a softwares específicos para o tema.

Diversos programas contam com a alternativa de gerar infográficos a partir de certos conjuntos de dados. Basta selecionar quais são as informações desejadas e tomar breves decisões sobre a apresentação.

Desse jeito, é possível potencializar os impactos positivos e tornar a visualização especialmente prática, eficiente e integrada ao cotidiano.

Os infográficos são excelentes recursos para garantir uma visualização de dados rápida e que favorece o fluxo de conhecimento. Com a elaboração adequada, as ferramentas de inteligência ficam ainda melhores.

Gostou do texto? Então fique sempre por dentro das novidades e das técnicas curtindo a nossa página no Facebook!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *